Qual a diferença entre Palestras e Cursos?

Todos precisamos estudar, para progredirmos, entrarmos, voltarmos ou nos mantermos no mercado de trabalho. Para isto buscamos cursos que atendam estas necessidades. Muitas empresas se aproveitam desta nossa busca por formação rápida e da situação econômica do País, lançando programas mágicos, com nomes que podem nos levar a decisões equivocadas. Aí vemos a confusão entre o …

Qual a diferença entre Palestras e Cursos? Leia mais »

6 Ds – As seis disciplinas que transformam educação em resultados para o negócio.

Marta Cordeiro de Mello Baseado no livro 6Ds – As seis disciplinas que transformam educação em resultados para o negócio) Quando tive contato a primeira vez com este tema logo pensei: mais um modismo passageiro em treinamentos… não dei muita importância. Ganhei o livro “6 Ds – As seis disciplinas que transformam educação em resultados …

6 Ds – As seis disciplinas que transformam educação em resultados para o negócio. Leia mais »

Recursos Humanos: qual a diferença entre Assistente e Analista?

Com a área de gestão de pessoas (recursos humanos) em expansão, é natural que surjam dúvidas quanto aos conceitos fundamentais deste assunto, pois muitos profissionais estão interessados em fazer parte deste crescimento e as regras não são bem claras, por falta de uma regulamentação sobre a atividade. É uma área democrática, profissionais de diversas formações …

Recursos Humanos: qual a diferença entre Assistente e Analista? Leia mais »

Qual a função de um Multiplicador de Treinamentos?

Esta é uma dúvida comum, afinal, qual a diferença entre facilitador, instrutor, professor, educador e multiplicador? Para resumir, o multiplicador é o profissional de qualquer área, que tem um conhecimento técnico aprofundado sobre determinado tema e precisa repassá-lo para outros membros da equipe, clientes ou parceiros. Assim desenvolve determinadas competências que irão colaborar nesta “empreitada”. …

Qual a função de um Multiplicador de Treinamentos? Leia mais »

O tempo de intervalo para refeição e descanso pode ser reduzido

O trabalhador que cumpre jornada de seis horas de trabalho deve usufruir intervalo para refeição e descanso de quinze minutos. Para o trabalho além de seis horas o intervalo para refeição deve ser fixado no mínimo em uma e no máximo em duas horas. A reforma trabalhista autoriza para a jornada superior a seis horas …

O tempo de intervalo para refeição e descanso pode ser reduzido Leia mais »